A produção de vinho na Quinta, foi centrada durante séculos no vinho do Porto mas também em pequenas quantidades de vinho branco e tinto para consumo exclusivo da família.
Depois do desastre da filoxera, foi levado a cabo a partir de 1932, um programa de modernização das vinhas e adega tendo em atenção especialmente a produção de vinhos do Douro, tintos e brancos, e Porto Vintage, a partir de castas tradicionais, com os mais modernos métodos de vinificação.

Sob a liderança de Miguel Champalimaud, que a partir de 1976 tomou a seu cargo a produção dos vinhos da Quinta do Côtto, assistiu-se ao estabelecimento do conceito de Vinhos de Quinta que, nos últimos 30 anos, tem sido o conceito estruturante da vitivinicultura e enologia Portuguesa.

Desde então, gradualmente, fruto da crescente qualidade dos mesmos, os Vinhos de Quinta afirmaram-se e ganharam mercado e reputação em toda a Europa. A evolução referida foi possível, graças à consolidação do conceito de Vinho de Quinta, liderado pela Quinta do Côtto.

Hoje, para os apreciadores Europeus de vinho, ser um Vinho de Quinta significa que, para além de ter sido produzido e engarrafado num terroir específico, a Quinta, aquele vinho foi cuidadosamente produzido e seleccionado pelo proprietário da mesma, o que lhe garante a qualidade, personalidade e autenticidade sem as quais nenhum bom vinho é um grande vinho.

Adegga 52

Adegga52 são os vinhos seleccionados pelo produtor para destacar no Adegga

Paço de Teixeiró 2017 (Branco)

Paço de Teixeiró 2017 (Branco)

O projeto da casa Montez Champalimaud nos Vinhos Verdes arrancou oficialmente na década de 80, mas a ligação da família à região remonta ao séc. XV. Localizada na sub-região de Baião, nos contrafortes do Marão, a Quinta de Paço de Teixeiró usufrui de um terroir único e diferenciador, caracterizado por um microclima com vontade própria, com noites frias provocadas pela proximidade da serra e pelos solos ainda durienses (xisto). Jovens, frescos e com personalidade forte, são assim os vinhos Paço de Teixeiró Branco e Paço de Teixeiró Avesso, as referências que traduzem de forma fiel a essência da região dos Vinhos Verdes.

Ir para o Facebook



Quinta do Côtto 2015 (Tinto)

Quinta do Côtto 2015 (Tinto)

A Quinta do Côtto é o nome que o ouvido aprendeu a lembrar, não apenas pela sua longa vida, mas pelos vinhos a quem empresta o nome. O Quinta do Côtto Grande Escolha marcou o início de uma nova era no Douro, confirmando o potencial da região para a produção de grandes vinhos “de Quinta”, movimento do qual o produtor foi pioneiro. Atualmente são produzidas quatro referências na Quinta do Côtto: Quinta do Côtto, Quinta do Côtto Vinha do Dote, Quinta do Côtto Bastardo e Quinta do Côtto Grande Escolha.

Ir para o Facebook



Vinhos

Quinta do Côtto


Bastardo

Paço do Teixeiró


Avesso, LoureiroAvesso, LoureiroAvesso

Legenda
  • RP - Robert Parker
  • VGE - VINHO - Grandes Escolhas
  • WS - Wine Spectator
  • EV - Essência do Vinho
  • WE - Wine Enthusiast
  • JPM - João Paulo Martins
  • DM - Decanter Magazine
  • BC - Boa Compra
  • DA - Decanter Awards
  • BE - Boa Escolha
  • RV - Revista de Vinhos
  • ARV - Antiga Revista de Vinhos
  • CMB - Concurso Mundial de Bruxelas
  • CVP - Concurso Vinhos de Portugal

Notícias

Receber as novidades do Adegga