Lavradores de Feitoria apresenta novas colheitas de ‘Cheda’

Branco e rosé de 2016 e tinto de 2014

Lavradores de Feitoria apresenta novas colheitas de ‘Cheda’

A duriense Lavradores de Feitoria, dos vinhos ‘Lavradores de Feitoria’, ‘Gadiva’, ‘Três Bagos’, ‘Meruge’ e ‘Quinta da Costa das Aguaneiras’, tem ainda a marca ‘Cheda’, que acaba de inaugurar o branco de 2016, depois do rosé, também de 2016, e do tinto de 2014. Um trio de vinhos desenhadas, em particular, para o consumidor descomplicado, e cujos lotes são feitos a partir de uvas de vinhas entre os 25 e os 30 anos, provenientes das quintas dos diversos produtores da Lavradores de Feitoria.

Com um perfil jovem, frutado e fresco, o ‘Cheda branco’ contém na sua “fórmula” as castas Malvasia Fina, Síria e Gouveio. Um branco bastante aromático, que na cor é citrino brilhante e no nariz revela a notória presença de fruta, como ameixa branca e ananás maduro, complementada com notas florais. Na boca, o ‘Cheda branco 2016’ exprime a frescura, a mineralidade e um bom equilíbrio entre estrutura e acidez, com a fruta a sobressair de novo, mas ao nível do alperce e da banana madura.

Elaborado a partir das castas Touriga Nacional e Touriga Franca, o ‘Cheda rosé’ tem assumidamente um perfil gastronómico. A colheita de 2016 apresenta uma cor salmonada e denota a presença de fruta, sobretudo de frutos vermelhos, como a framboesa, que em harmonia com a frescura do ananás e das notas cítricas lhe confere vivacidade e elegância na boca. Um rosé fresco e elegante; uma excelente opção para iniciar uma refeição de Verão em família ou um encontro de final de tarde com os amigos.

De um vermelho rubi, intenso e profundo, o ‘Cheda tinto 2014’ é, tal como os anteriores, um DOC Douro, desta feita elaborado três típicas castas durienses: Touriga Franca, Tinta Roriz e Touriga Nacional. A fermentação do lote ocorreu em cubas de inox, mas o estágio foi repartido entre inox (2/3) e barricas de carvalho francês usadas (1/3), por um período de oito meses. No nariz manifesta-se um vinho intenso e bastante frutado, com aromas a fruta vermelha bem madura, como a ameixa, complementadas pelas especiarias provenientes do estágio em madeira. Na boca, este ‘Cheda tinto’ é fresco, muito equilibrado, com forte presença de fruta, taninos suaves, boa acidez e uma excelente estrutura. O final de boca é muito fresco, a demonstrar capacidade de evoluir mais anos em garrafa.

Lançada pela Lavradores de Feitoria em 2004, a marca ‘Cheda’ manteve-se no mercado até 2010. Foi relançada anos mais tarde, em 2014, pelas mãos do produtor, numa parceria de exclusividade para o mercado nacional, com a distribuidora Garcias. Do relançamento fizeram parte o trio acima apresentado – ‘Cheda branco’, ‘Cheda rosé’ e ‘Cheda tinto’ – e um ‘Cheda Reserva tinto’ (€11,00). Em 2016, foi chegada a vez de uma nova referência, o ‘Cheda Reserva branco’ (€10,50). À venda, estes vinhos estão em garrafeiras, lojas especializadas e em restaurantes e outros pontos do canal horeca, não chegando às grandes superfícies.

Receber as novidades do Adegga