Adega de Monção

Alvarinho Deu La Deu 2017 (Branco)

Alvarinho Deu La Deu 2017 (Branco)

O Alvarinho Deu La Deu é um dos Alvarinhos mais antigos e conhecidos da sub-região de Monção e Melgaço, naturalmente distinguida pela elevada qualidades nos Alvarinhos que produz. Ao longo dos 60 anos de história da Adega de Monção, o conhecimento e know-how dos nossos cooperantes que trabalham no campo todo o ano foi passado de geração em geração o que, aliado ao constante investimento em desenvolvimento e tecnologia da Adega de Monção, resultam na crescente qualidade do Alvarinho Deu La Deu.Só em 2017 o Alvarinho Deu La Deu foi reconhecido em mais de 15 concursos nacionais e internacionais, sendo os mais importantes a medalha de Ouro na Categoria Alvarinho e também medalha Best of Vinhos Verdes no concurso Melhores Verdes do Ano 2017, concurso da CVRVV.Este Alvarinho tem um aspeto brilhante de cor citrina e apresenta aromas frutados de pêssego, alperce e notas de frutos tropicais e nuances florais. Este vinho de final longo acompanha na perfeição mariscos, peixes e carnes brancas e deve ser servido a uma temperatura de 12ºC.

Ir para o Facebook



Alvarinho Deu La Deu Reserva 2016 (Branco)

Alvarinho Deu La Deu Reserva 2016 (Branco)

O Alvarinho Deu La Deu Reserva é o resultado da seleção das melhores uvas da nobre casta Alvarinho proveninentes de vinhedos antigos dos terraços aluviais de seixo rolado que proporcionam ao vinho um cariz de maior mineralidade . Este vinho de 2016 fez batonnage prolongada sobre borras finas até agosto de 2017, tendo sido engarrafado em outubro de 2017 um total de 33.789 garrafas. De entre mais de duas dezenas de prémios, destacamos a Medalha de Ouro no concurso International Wine Challenge e o prémio Gran Albariño de Oro no concurso Albariños Al Mundo, tendo sido o único Alvarinho português com esta distinção máxima.Este vinho apresenta um aspeto brilhante de cor citrina, notas aromáticas de flor de laranjeira, maracujá, pêssego e alperce. Este Alvarinho de final longo e frutado tem um enorme potencial de guarda, deve ser servido à temperatura de 12ºC e acompanhado de mariscos, peixes e carnes brancas.

Ir para o Facebook



AdegaMãe

Dory 2017 (Branco)

Dory 2017 (Branco)

É o branco que melhor define o projeto. Um vinho marcadamente Atlântico, que junta 4 das mais importantes castas brancas: Viosinho, Alvarinho, Arinto e Viognier. É um vinho mineral, com uma acidez vibrante e com um toque salino. Fermentado só em inox para manter a autenticidade das castas e com batonnage durante 4 meses para ganha. Combinação perfeita para mariscos ao natural.

Ir para o Facebook



AdegaMãe Terroir 2014 (Branco)

AdegaMãe Terroir 2014 (Branco)

O branco de excelência da AdegaMãe. Feito só em anos muito especiais, resume todo o caracter dos vinhos de Lisboa. Resulta das parcelas mais calcárias da vinha da AdegaMãe, com as castas Viosinho e Alvarinho. Fermenta em barricas de 400l de carvalho francês e estagia durante 12 meses nas barricas. Após este estágio é engarrafado e faz mais um ano em garrafa até ser lançado para o mercado. Será o expoente máximo do Terroir da AdegaMãe. Edição muito limitada de 2700 garrafas.

Ir para o Facebook



Bacalhôa

Bacalhôa Verdelho 2016 (Branco)

Bacalhôa Verdelho 2016 (Branco)

Produzido com uvas da casta Verdelho plantadas nas planícies das Faias na Península de Setúbal.Acolheita de 2016 apresenta-se com uma acidez natural bem presente,muito floral,mineral e aromática devido às condições climáticas anuais, com maturações da uva muito lentas e tardias que favorecem a qualidade dos vinhos brancos.Este vinho fermentou a baixas temperaturas, para conservar os aromas primários da uva,conseguindo-se assim um estilo de vinho novo,fresco e frutado.De um ano excepcional de vinhos brancos,este Verdelho fermentou lentamente e estagiou nas suas borras durante três semanas,conferindo lhe untuosidade e um longo final de boca.OVerdelho dá aos vinhos aromas de frutos tropicais e de especiarias.O lote final foi realizado no inicio de Fevereiro de 2017,aproveitando a“explosão”de aromas e frescura que marca os vinhos acabados de fermentar,tendo sido logo engarrafado.

Ir para o Facebook



Bacalhôa Syrah 2015 (Tinto)

Bacalhôa Syrah 2015 (Tinto)

Neste 2015, selecionamos as uvas da vinha do Tátá, vindimadas a meio de Setembro. À vinificação clássica de tintos de guarda seguiu-se um estágio durante 17 meses em barris de carvalho francês. O perfil do 2015, ano globalmente seco e durante o período de maturação com temperaturas moderadas e grandes amplitudes térmicas diurnonocturnas, permitiu uma maturação perfeita resultando num perfil encorpado e aromaticamente exuberante, com uma surpreendente boa acidez e uma estrutura suportada por taninos suaves tão característicos dos Syrah’s das areias do Poceirão.

Ir para o Facebook



Carlos Lucas Vinhos

Ribeiro Santo Encruzado 2017 (Branco)

Ribeiro Santo Encruzado 2017 (Branco)

As uvas, exclusivamente da casta de Encruzado, foram vindimadas manualmente, na segunda semana de Setembro, para pequenas caixas de 18Kg, de acordo com uma seleção criteriosa das melhores uvas na vinha. O mosto das uvas desengaçadas e prensadas decantou a baixa temperatura em pequenos depósitos de inox durante 48h. Depois de limpo fermentou em barricas de carvalho francês de 500L. Durante a fermentação foi feita battonage, o vinho permaneceu nas barricas durante mais 5 meses.Cor límpida, com laivos citrino esverdeados. Aroma delicado com notas de limão, maçã verde e flor seca de tília. Na boca encontramos a mesma fruta fresca e a típica mineralidade de encruzado em equilíbrio com acidez fresca.

Ir para o Facebook



Envelope 2015 (Tinto)

Envelope 2015 (Tinto)

A vinha segue o encepamento tradicional e foi plantada num terreno granítico pobre, com grandes afloramentos rochosos, de onde se avista a Serra da Estrela. Toda a vinha encontra-se em regime de Produção Integrada demonstrando a grande preocupação com as questões ambientais. A conjugação de práticas culturais associadas à utilização criteriosa de produtos biológicos respeitadores do ambiente origina produções equilibradas.Neste vinho quisemos contrariar a rapidez cosmopolita e aplicámos uma outra filosofia – chamamos-lhe Envelope, lembrando o dia e a noite que a carta demora a chegar ao destino. Comunicamos sim, mas com tempo e aproveitando o melhor de dois mundos num vinho tinto clássico.O Envelope Tinto 2015 resulta de um lote com Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Roriz e Tinto Cão proveniente de vinhas com 40 anos, e fermentou com 100% de engaço. A meio do processo, de forma a evitar a adstringência dos taninos, interrompemos o contacto com a película. Estagiou 12 meses em barricas de 300 Litros e, de seguida, permaneceu durante mais 8 meses em garrafa antes de sair para o mercado.

Ir para o Facebook



Cortes de Cima

Cortes de Cima 2016 (Branco)

Cortes de Cima 2016 (Branco)

O Cortes de Cima branco é um vinho de lote. É a união das duas áreas de vinha distintas da Cortes de Cima – o interior na Vidigueira e o litoral junto a Vila Nova de Milfontes. Da costa atlântica alentejana vêm as uvas das castas Alvarinho e Sauvignon Blanc que são loteadas com uvas Viognier, provenientes da herdade Cortes de Cima.O litoral contribui com acidez e salinidade, o interior com cremosidade e fruta madura. A madeira do estágio acrescenta complexidade e estrutura ao vinho. O Cortes de Cima Branco 2016 apresenta-se cativante, com aromas a fruta madura, lima e toranja, e notas tropicais. Vigoroso e untuoso no palato, com intensidade de fruta e acidez equilibrada. Final longo.

Ir para o Facebook



Incógnito 2014 (Tinto)

Incógnito 2014 (Tinto)

O Incógnito nasceu do espirito inovador e desassossegado de Carrie e Hans Jorgensen. Na Cortes de Cima o talhão 9C é a primeira vinha da casta Syrah plantada no Alentejo. Quando em 1991 Hans Jorgensen plantou as cepas com enxertos vindos directamente do Ródano, numa área de terreno calcário no cimo de um monte, não imaginava que a vinha iria originar um vinho que marcaria a região e os vinhos do Alentejo.O Incógnito resulta do terroir do Alentejo, da casta que se adaptou na herdade de forma notável, da técnica existente nas Cortes de Cima e da vontade de Hans Jorgensen em fazer sempre o melhor. As principais características do vinho são a fruta expressiva, a intensidade, a densidade, e a capacidade de guarda. Nem todos os anos existe Incógnito - apenas quando há qualidade nos vinhos da casta. O Incógnito estagia em barricas de carvalho francês durante um curto período de forma a preservar a identidade do talhão 9C e da casta.O Incógnito da vindima de 2014 tem aromas a frutos vermelhos, ameixa e notas de tosta. Palato com frutos sedosos e doces, textura agradável, encorpado, sabor intenso com taninos macios e elegantes no final. Um Incógnito clássico já está acessível mas com equilíbrio e estrutura para uma evolução a longo prazo.

Ir para o Facebook



Esporão

Esporão Colheita 2015 (Tinto)

Esporão Colheita 2015 (Tinto)

O Esporão Colheita, feito 100% a partir de vinhas da Herdade do Esporão e das primeiras uvas certificadas em Modo de Produção Biológico, tem um perfil vibrante e directo que traduz a diversidade e as características das uvas, e dos diferentes solos da Herdade.

Esporão Reserva 2015 (Tinto)

Esporão Reserva 2015 (Tinto)

Os vinhos Esporão Reserva são obras-primas de terroir, vinificação e arte. Desde a nossa primeira vindima, em 1985, todos os rótulos são personalizados por um artista diferente. Produzido a partir de uvas cultivadas na Herdade do Esporão, este clássico Esporão Reserva Tinto 2015 revela a consistência e as características dos frutos maduros típicos dos melhores vinhos tintos do Alentejo.

Ir para o Facebook



Herdade da Mingorra

Mingorra Colheita 2017 (Branco)

Mingorra Colheita 2017 (Branco)

A complexidade da nossa região combinada com a frescura e intensidade dos aromas varietais resultam neste compromisso entre a juventude e o carácter. Proveniente dos nossos talhões de Antão Vaz, já um clássico alentejano, e Verdelho – uma aposta ganha na Herdade da Mingorra –, apresenta cor amarela citrina, aroma intenso a frutos tropicais, grande volume de boca e frescura equilibrada. A gama Mingorra Colheita é a verdadeira expressão da Herdade da Mingorra como um todo, representa o carácter da nossa terra de perdizes e do novo Alentejo, bem como das nossas principais castas.

Ir para o Facebook



Mingorra Reserva 2014 (Tinto)

Mingorra Reserva 2014 (Tinto)

O resultado da nossa verdadeira filosofia: o encontro do passado com o presente. A reconversão de algumas das mais antigas vinhas da Herdade da Mingorra com castas de referência, faz deste vinho uma marca da nossa evolução. Neste caminho que temos vindo a percorrer, reconvertemos talhões antigos com Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Syrah e Touriga Nacional, para criarmos um vinho intenso, moderno, jovem, fresco, alentejano. Na prova, apresenta cor intensa, aroma a frutos maduros com notas de chocolate preto e folha de tabaco, sabor concentrado, complexo e persistente. A gama Herdade da Mingorra Reserva é o resultado dos melhores talhões das nossas vinhas, os quais temos vindo a manter e reconverter para obter vinhos alentejanos distintos e actuais.

Ir para o Facebook



Herdade do Rocim

Herdade do Rocim Amphora 2016 (Branco)

Herdade do Rocim Amphora 2016 (Branco)

Com dois mil anos de tradição no Alentejo, o vinho de talha continua a ser produzido de acordo com os processos de vinificação das villae romanas. Com este vinho, a Herdade do Rocim presta a sua homenagem à tradição ancestral da cultura da vinha e do vinho.

Ir para o Facebook



Crónica 328 2015 (Tinto)

Crónica 328 2015 (Tinto)

Crónica #328 José Ribeiro Vieira nasce do sonho, da vontade e do amor. É a homenagem a um Homem e à sua obra. A alguém que acreditava na terra, nos afectos e no saber. À coragem de escrever o que pensava. Este vinho é a sua última Crónica. A que ficou por escrever.

Ir para o Facebook



Herdade Grande

Herdade Grande 2017 (Branco)

Herdade Grande 2017 (Branco)

Vinho produzido a partir de uvas colhidas manualmente às primeiras horas do dia, seguindo de imediato para a adega, onde foram cuidadosamente selecionadas num tapete de escolha. Foi feita uma prensagem suave, com breve maceração pelicular, de forma a extrair mais aromas primários. O mosto foi clarificado de forma estática a 10o, numa cuba de inox, onde fermentou de seguida a temperaturas entre os 13oC e 14oC. De aspeto límpido e brilhante, apresenta uma bela tonalidade citrina, muito apelativa com ligeiros laivos amarelados. No nariz sobressaem aromas frutados, onde predominam os frutos tropicais complementados por notas cítricas, com toque suave a tosta. No palato aparece redondo, com sabor rico a fruta tropical, pêssego e maracujá e breves nuances a mel. Acidez bem balanceada, boa estrutura e untuosidade com final fino e persistente. Sugere-se que a degustação deste vinho seja iniciada com uma sapateira requintadamente recheada ou camarões grelhados.Depois de desfrutar deste primeiro momento, prossiga com um delicioso robalo grelhado ou um bife de atum acompanhado de uma generosa salada mista. Temperatura de consumo aconselhada 8o a 10oC.

Ir para o Facebook



Herdade Grande Gerações 2013 (Tinto)

Herdade Grande Gerações 2013 (Tinto)

São as GERAÇÕES que dão a continuidade e a atualização constante de um projecto vitivinícola intensamente vivido pelo produtor, sua família, amigos e anónimos apreciadores dos Vinhos da Herdade Grande. Porque já vamos na 2a Geração e todos merecemos comemorar o que de bom se tem feito, brindemos às 19 VINDIMAS com este blend, produzido a partir de uvas vindimadas manualmente e selecionadas com todo o rigor. A fermentação decorreu em lagares de inox, de reduzidas dimensões com controlo de temperatura de forma a preservar toda a elegância aromática. Após a fermentação estagiou em 4 tipos de barricas de carvalho durante 12 meses e igual período em garrafa. Límpido, cor granada, apresenta no nariz um perfil aromático intenso, sugerindo frutos maduros, com suaves notas de madeira, e sugestões de especiarias. No palato mostra-se encorpado e bem equilibrado, com taninos robustos e acidez bem combinada, terminando com final longo e elegante. Convidamo-vos a brindar com este vinho tinto, acompanhado com cabrito ou típico borrego alentejano assados no forno ou carnes gordas na brasa bem condimentadas. Temperatura de consumo aconselhada 16o a 18o.

Ir para o Facebook



João Portugal Ramos

Marquês de Borba Vinhas Velhas 2016 (Tinto)

Marquês de Borba Vinhas Velhas 2016 (Tinto)

A marca mais emblemática de João Portugal Ramos, cujo nome provém de um título pertencente a um antepassado do enólogo, lança este ano a referência Vinhas Velhas em versão tinto e branco.Provenientes das vinhas mais antigas do Grupo, que o ano passado completou 25 anos de história, o Marquês de Borba Vinhas Velhas 2016, resulta das castas Aragonez, Castelão, Alicante Bouschet e Syrah, pisadas em lagares de mármore durante 4 a 5 dias. Um vinho com cor granada intensa. No nariz, grande concentração de frutos pretos, folha de eucalipto e algumas notas de especiarias provenientes do estágio de 12 meses em barricas de carvalho americano e francês. Grande volume na boca com taninos aveludados.

Ir para o Facebook



Duorum Colheita 2015 (Tinto)

Duorum Colheita 2015 (Tinto)

Em 2007, João Portugal Ramos e José Maria Soares Franco, dois enólogos que marcam a história do vinho em Portugal nas últimas décadas, em duas regiões que o mundo reconhece como de elevada qualidade e personalidade, o Douro e o Alentejo, criam o projeto Duorum (expressão latina que significa “de dois”). Um projeto com uvas de duas origens durienses, uvas de duas altitudes: Cima Corgo e Douro Superior, cuja plantação de vinha foi integrada na zona de proteção especial Vale do Côa e está integrada no Parque Arqueológico do Vale do Côa.Este Duorum Colheita, de cor vermelha intensa e profunda com tonalidades violetas, tem um aroma intenso, fresco e complexo, onde dominam os frutos maduros, como amora, ameixa e cassis, alguns aromas florais, como as violetas, e aromas terciários provenientes da sua "elevage" em barricas como a especiarias. Possui taninos firmes, maduros e suaves e uma acidez equilibrada.Um vinho aclamado a nível nacional e internacional. A esta colheita, de 2015, foram atribuídos 92 pontos pela Decanter, 91 pontos pela Wine Enthusiast e 90 pontos pelo Robert Parker (Wine Advocate).

Ir para o Facebook



José Maria da Fonseca

José de Sousa 2016 (Tinto)

José de Sousa 2016 (Tinto)

A Adega José de Sousa Rosado Fernandes existe desde 1878 e foi adquirida pela José Maria da Fonseca em 1986, de forma a ser concretizado o antigo sonho de produzir vinho no Alentejo, numa propriedade carregada de prestígio e história. Situada em Reguengos de Monsaraz, é aqui que se mantém viva uma tradição iniciada pelos Romanos há mais de 2000 anos. A adega José de Sousa possui 114 ânforas de barro, onde é realizado um método de fermentação ancestral. O José de Sousa foi criado com a intenção de reproduzir o Tinto Velho de 1940 da Casa Agrícola José de Sousa Rosado Fernandes e é um blend de (54%) Grand Noir, (34%) Trincadeira e (12%) Aragonês.

Ir para o Facebook



Periquita Reserva 2016 (Tinto)

Periquita Reserva 2016 (Tinto)

A história do Periquita remonta ao início da própria história da José Maria da Fonseca, quando o fundador da empresa, o Senhor José Maria da Fonseca comprou, por volta de 1846, a propriedade Cova da Periquita. Foi nessa propriedade, hoje em dia quase engolida pelo desenvolvimento urbano, que José Maria da Fonseca plantou as primeiras uvas da casta Castelão, que ele próprio havia trazido da Estremadura. O vinho produzido na Cova da Periquita desde logo provou ser o melhor da região dando origem a que os outros proprietários pedissem a José Maria da Fonseca varas daquela casta para plantarem nas suas próprias propriedades. Desta forma, o vinho tornou-se conhecido em Azeitão como o vinho da Periquita, passando a ser comercializado pela José Maria da Fonseca como Periquita. José Maria da Fonseca registou a marca Periquita em 1941. Por este motivo, o Periquita é na actualidade a mais antiga marca Portuguesa de vinho de mesa comercializada tendo adquirido, ao longo do tempo, uma crescente popularidade em Portugal e uma considerável notoriedade em mercados tais como a Suécia, o Brasil, Estados Unidos da América, Canadá, Dinamarca e Noruega. O Periquita Reserva é ao mesmo tempo um herdeiro da verdadeira tradição da marca Periquita e uma visão de futuro. As castas Castelão, Touriga Nacional e Touriga Francesa combinam-se na perfeição para dar ao vinho um perfil frutado e complexidade.

Ir para o Facebook



Julia Kemper

JK Elpenor 2011 (Tinto)

JK Elpenor 2011 (Tinto)

Na nossa quinta, os dias são uma descoberta constante. Conhecemos a lagarta Elpenor numa visita matinal de trabalho à vinha. A sorrir, percebemos que a Elpenor era a melhor garantia que o nosso empenho bio estava a resultar.Como homenagem nasceu o vinho Elpenor, um vinho feito a partir da união das quatro principais castas da região do Dão – Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro e Jaen. Esta homenagem representou um alargar da gama de vinhos Julia Kemper com duas novas referências Elpenor Tinto e Elpenor Rosé… completando-se ainda mais a oferta e evidenciando a riqueza e diversidade das nossas vinhas.O vinho JK Elpenor Tinto resulta da união das quatro principais castas da Região do Dão, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro e Jaen. Apresenta-se de cor rubi intensa, aroma bem presente de fruta de bosque e bergamota. Na boca é encorpado, com muita frescura e elegância. O seu final de boca é longo e complexo.

Ir para o Facebook



Julia Kemper Touriga Nacional 2012 (Tinto)

Julia Kemper Touriga Nacional 2012 (Tinto)

Produzir vinhos que sejam elegantes, com deliciosa acidez, uma textura incrível e sobretudo bio de elevada qualidade implica um conhecimento extenso, trabalho e aprendizagem constantes. Este continua a ser o nosso objetivo ano após ano, pois a nossa verdadeira paixão é fazer tudo de forma autêntica e verdadeiramente sentida. A nossa gama de vinhos está centrada essencialmente nas castas típicas da região e evidencia-se pela sua frescura, elegância e personalidade ímpar.Este Julia Kemper Touriga Nacional 2012 é um vinho de cor vermelho profundo e forte com nuances grená. De aroma delicado, apresenta expressões aromáticas finas de violeta, amora silvestre e cereja madura, aliadas a leves notas de baunilhas finas, cacau e nuances balsâmicas. Vinho aveludado e macio com presença de taninos educados. Demonstra finura, requintado bouquet e elegante persistência.

Ir para o Facebook



Márcio Lopes Winemaker

Pequenos Rebentos Moda Antiga 2017 (Branco)

Pequenos Rebentos Moda Antiga 2017 (Branco)

Elaborado a partir de uvas de Alvarinho e de Avesso de uma vinha localizada em Amarante, este vinho macerou e fermentou nas peliculas durante aproximadamente 6 dias, com estágio de 9 meses em barricas usadas com as borras totais. Creio ter feito um vinho com forte carácter varietal, rústico e fresco, com a mineralidade que aprecio nestas castas, bem a lembrar o gosto antigo.Pequenos Rebentos À Moda Antiga, será sempre uma edição especial, engarrafado em número limitado de garrafas, que apenas serão colocadas à venda se tiverem qualidade à altura das exigências. Gosto de experimentar, e as experiências devem ser partilhadas.

Ir para o Facebook



Pequenos Rebentos Vinhas Velhas Loureiro 2017 (Branco)

Pequenos Rebentos Vinhas Velhas Loureiro 2017 (Branco)

A casta Loureiro, cada vez mais reconhecida, no panorama nacional, tem qualidades impares, nomeadamente pela aromáticos que confere, e dependendo da proveniência, na elegância que origina nos vinhos.Elaborado a partir de uma vinha plantada em 1989, entre Ponte de Lima e Braga, selecionei as videiras com menor produção, e fruto da fermentação espontanea em barricas usadas provenientes de Puligny-Montrachet, e consequente maturação de cerca de 6 meses, com recurso a battonage, creio ter feito vinho com forte carácter varietal, fresco com ligeiro floral. Na minha opinião, um vinho com uma finesse a par de grandes brancos a nível mundial.

Ir para o Facebook



Monte da Raposinha

Monte da Raposinha 2016 (Tinto)

Monte da Raposinha 2016 (Tinto)

Monte da Raposinha é o nome dado à nossa propriedade e empresa familiar situada junto à barragem de Montargil. É também o nome dado a esta gama de vinhos, pois queremos assim representar o melhor do nosso terroir e carinho de toda a família. O Monte da Raposinha Tinto 2016 é um lote feito com Touriga Nacional e Syrah. As castas fermentaram separadamente em lagares com temperatura controlada, mantendo-se separadas até ao lote final, tendo parte da Touriga Nacional estagiado em barricas usadas de carvalho francês - para beneficiar da micro-oxigenação e aumentar a complexidade do lote - enquanto o restante vinho estagiou em inox para preservar a frescura e fruta.

Ir para o Facebook



Athayde Grande Escolha 2014 (Tinto)

Athayde Grande Escolha 2014 (Tinto)

No Monte da Raposinha nasce o vinho Athayde, nome de família do criador e responsável principal pelo nascimento do projecto, Nuno Athayde. Com a responsabilidade de representar a família, este vinho, da colheita 2014, foi criado com as castas Alicante Bouschet e Touriga Nacional tendo fermentado separadamente em lagares com temperatura controlada, estagiando depois todo o lote em barricas usadas de carvalho francês - de diferentes tanoarias e diferentes anos de uso - para juntar à fruta e estrutura destas castas a complexidade das barricas.

Ir para o Facebook



Monte da Ravasqueira

Monte da Ravasqueira Reserva da Familia 2016 (Branco)

Monte da Ravasqueira Reserva da Familia 2016 (Branco)

A gama Reserva da Família apresenta vinhos clássicos e intemporais, produzidos unicamente a partir de zonas selecionadas da vinha. De perfil autêntico e internacional, o Ravasqueira Reserva da Família Branco reflete o carácter especial que as castas Viognier e Alvarinho revelam no terroir da Ravasqueira, em conjunto harmonioso e com estágio de cinco meses em barricas de carvalho francês. Tem origem em apenas 2.84 hectares de vinha, sendo um vinho que resulta de um espírito de descoberta e de partilha de valores únicos todos os anos.De cor amarela e traços esverdeados este vinho apresenta grande mineralidade e notas de citrinos maduros bem marcadas. Na prova apresenta uma untuosidade, reflexo do estágio sobre as borras com battonage ligeira durante 6 meses antes do engarrafamento. Um vinho complexo cheio de harmonia e elevação. apresenta um grande espectro gastronómico. Para beber já ou para guardar.

Ir para o Facebook



Monte da Ravasqueira Selecção do Ano 2016 (Tinto)

Monte da Ravasqueira Selecção do Ano 2016 (Tinto)

Os vinhos da gama Seleção do Ano são um reflexo claro da seleção especial que é feita todos os anos de pequenos lotes de cada variedade, de forma a criar um único lote que possa ter o equilíbrio ideal entre fruta, concentração e acidez.O Monte da Ravasqueira Seleção do Ano Tinto, é feito a partir das castas Touriga Nacional (25%), Aragonês (25%), Syrah (25%) e Alicante Bouschet (25%). 20% do lote estagiou em madeira, complementando o seu perfil varietal com uma textura e riqueza únicas. Idealizado para ser especialmente gastronómico, pela sua concentração e prolongamento na prova.Apresenta uma cor encarnada escura e densa. Nariz de grande elegância e equilíbrio entre as notas de frutos do bosque, ameixa e figo e notas de estágio em madeira. Na prova apresenta uma textura e riqueza únicas. Com uma textura aveludada e virado para a mesa, este vinho foi concebido para elevar a experiência de prova e explorar os sentidos juntamente com todo o tipo de gastronomia e ocasiões.

Ir para o Facebook



Muxagat

Muxagat 2014 (Tinto)

Muxagat 2014 (Tinto)

De cor vermelha profunda, é um vinho que mostra uma grande frescura aromática, característica própria da Touriga Franca e algumas notas balsâmicas, características da Touriga Nacional. Na boca tem uma entrada forte, com um grande equilíbrio entre a acidez e os taninos bem estruturados, oferecendo um final de boca longo e suave.

Ir para o Facebook



Os Xistos Altos 2014 (Branco)

Os Xistos Altos 2014 (Branco)

De cor amarela e tom brilhante, este vinho mostra um bom carácter mineral e aromas fumados. Oferece, igualmente, aromas frescos de flores e frutos brancos e também algumas notas de zimbro. Na boca mostra-se um pouco salgado e mineral, típico da casta Rabigato, com uma concentração e uma acidez prolongada. É um vinho com grande potencial de envelhecimento.

Ir para o Facebook



Paulo Laureano

Genus Genarationes Maria Teresa Laureano 2017 (Branco)

Genus Genarationes Maria Teresa Laureano 2017 (Branco)

Verdelho é uma casta fascinante, de Creta para a Madeira e posteriormente para os Açores esta casta tem assumido nos últimos anos um protagonismo muito forte. Mas o Verdelho insular é único, mineral salino, atlântico com um perfil de grande elegância. Com varas de algumas das vinhas mais antigas da Madeira re-enxertadas em vinhas velhas, construímos uma pequena parcela na Vidigueira, onde o terroir único da região, xisto e fortes amplitudes térmicas, também marcam a personalidade da casta. Na gama Genus Generationes colocamos alguns dos nossos vinhos mais exóticos, sob o nome dos vários membros da família. Este Verdelho de 2017, é talvez aquele que de forma mais brilhante exibe todo esse exotismo, com notas minerais fortes e elegantes, uma fruta branca fresca com alguns citrinos e pêssego no final e uma enorme frescura. Na boca é vibrante, com uma excelente acidez, profundo e desafiante. Identidade de Verdelho insular, com uma forte marca na boca do terroir da Vidigueira. Tudo a condizer com a membro mais nova da família, Maria Teresa Laureano.

Ir para o Facebook



Dolium Reserva 2014 (Tinto)

Dolium Reserva 2014 (Tinto)

Esta é a marca ícone da Paulo Laureano Vinus, desenhada só nos anos de qualidade extraordinária. A sua construção é feita a partir de um field blend de uma das vinhas mais velhas da Paulo Laureano Vinus, onde se reconhecem 10 diferentes castas, mas só três com identificação possível, Alicante Bouschet, Tinta Grossa e Alfrocheiro. A este field blend adicionamos mais Alicante Bouschet, Trincadeira e Tinta Grossa, também selecionados nas nossas melhores vinhas. Fermentação em lagar, 12 meses em barricas novas de carvalho francês de 300 litros e um longo estágio em garrafa. As notas aromáticas fazem lembrar frutos negros densos, tem muita especiaria, chocolate, folha de tabaco. O aroma é intenso e elegante e merece uma avaliação com tempo. Na boca é muito marcante, tem uma frescura surpreendente conferida pelos solos e clima da Vidigueira. A concentração de taninos é esmagadora, mas são redondos aveludados, o que confere um enorme prazer na sua degustação. É um vinho jovem, com muito equilíbrio, que convida à descoberta, mas a sua capacidade de evolução em garrafa é enorme. Este é um grande exemplo de tudo o que se defende na Paulo Laureano Vinus, os grandes vinhos só precisam de um terroir de excelência e das melhores castas portuguesas.

Ir para o Facebook



Poças

Vale de Cavalos 2015 (Tinto)

Vale de Cavalos 2015 (Tinto)

Tinto do Douro Superior produzido apenas com uvas provenientes da Quinta de Vale de Cavalos, em Numão.Das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca, é um vinho retinto, com aromas a cerejas escuras e alguma especiaria. De corpo médio, com taninos polidos e elegantes que tem recebido pontuações elevadas.

Ir para o Facebook



Poças Colheita 1992 (Fortificado)

Poças Colheita 1992 (Fortificado)

Porto de qualidade superior, proveniente de uma só colheita, envelhecido em casco durante pelo menos sete anos. Neste processo, os aromas jovens, frescos e frutados, evoluem para um bouquet complexo e elegante, bem combinado por uma textura aveludada e um final persistente.

Ir para o Facebook



Quinta da Lixa

Alvarinho Pouco Comum 2017 (Branco)

Alvarinho Pouco Comum 2017 (Branco)

Da mais nobre e conhecida casta Portuguesa foi produzido este vinho num ano de excepcional qualidade.Aroma intenso, elegante e muito atractivo com notas florais, frutadas e nuances limonadas, num conjunto de grande carácter e finura. Fruto tropical na boca, acidez bem enquadrada com o fruto. Final longo,

Ir para o Facebook



Quinta da Lixa Alvarinho 2015 (Branco)

Quinta da Lixa Alvarinho 2015 (Branco)

100% Alvarinho Este vinho da casta Alvarinho exprime a singularidade e originalidade do nosso terroir, com solos em que a mistura do granito muito próprio da Região dos vinhos Verdes, e o xisto mais típico da Região do Douro resultou num vinho de grande frescura e mineralidade, longo e estruturado com madeira bem integrada de grande qualidade.

Ir para o Facebook



Quinta de Soalheiro

Alvarinho Soalheiro Granit 2017 (Branco)

Alvarinho Soalheiro Granit 2017 (Branco)

O Soalheiro Granit revela o lado mais mineral da casta Alvarinho. É um Alvarinho que sai de uma seleção específica de vinhas plantadas acima dos 200 metros de altitude, revelando a mineralidade que relaciona o solo de origem granítica do terroir de Monção e Melgaço e a casta Alvarinho, aprimorado com a batonage e o estágio nas borras finas. A fermentação ocorre em cubas de inox a temperatura mais elevada que a usual em vinhos brancos, mostrando aroma elegante e mais mineral com um final seco e persistente.As uvas de Alvarinho utilizadas no Soalheiro Granit são provenientes de vinhas de pequena dimensão implantadas em solo de origem granítica acima dos 200 metros de altitude e localizadas no microclima particular da sub-região de Monção e Melgaço, a região mais norte de Portugal.

Ir para o Facebook



Alvarinho Soalheiro Terramatter 2017 (Branco)

Alvarinho Soalheiro Terramatter 2017 (Branco)

O Terramatter é um vinho diferente, pertence à familia dos Soalheiros Naturais, por isso não sujeito a filtração e elaborado com uvas da casta Alvarinho, onde se recorre a conceitos de produção que valorizam a biodiversidade.Trata-se de um Soalheiro que pode ser interpretado como um regresso às origens e que poderá ser, simultaneamente, um olhar para o futuro. De cor intensa, aroma cheio e aveludado e sabor complexo com vegetal vibrante no final, demonstra uma personalidade vincada e um perfil diferenciado. A fermentação malolática parcial em barricas de castanho e a vindima precoce são fatores fundamentais.

Ir para o Facebook



Quinta do Côtto

Paço de Teixeiró 2017 (Branco)

Paço de Teixeiró 2017 (Branco)

O projeto da casa Montez Champalimaud nos Vinhos Verdes arrancou oficialmente na década de 80, mas a ligação da família à região remonta ao séc. XV. Localizada na sub-região de Baião, nos contrafortes do Marão, a Quinta de Paço de Teixeiró usufrui de um terroir único e diferenciador, caracterizado por um microclima com vontade própria, com noites frias provocadas pela proximidade da serra e pelos solos ainda durienses (xisto). Jovens, frescos e com personalidade forte, são assim os vinhos Paço de Teixeiró Branco e Paço de Teixeiró Avesso, as referências que traduzem de forma fiel a essência da região dos Vinhos Verdes.

Ir para o Facebook



Quinta do Côtto 2015 (Tinto)

Quinta do Côtto 2015 (Tinto)

A Quinta do Côtto é o nome que o ouvido aprendeu a lembrar, não apenas pela sua longa vida, mas pelos vinhos a quem empresta o nome. O Quinta do Côtto Grande Escolha marcou o início de uma nova era no Douro, confirmando o potencial da região para a produção de grandes vinhos “de Quinta”, movimento do qual o produtor foi pioneiro. Atualmente são produzidas quatro referências na Quinta do Côtto: Quinta do Côtto, Quinta do Côtto Vinha do Dote, Quinta do Côtto Bastardo e Quinta do Côtto Grande Escolha.

Ir para o Facebook



Quinta do Piloto

Piloto Collection Roxo 2017 (Branco)

Piloto Collection Roxo 2017 (Branco)

Quinta do Piloto COLLECTION é uma edição limitada. Elaborado a partir de uma casta singular, que há alguns anos atrás esteve em vias de extinção. Este vinho foi criado a partir de uvas oriundas de uma pequena vinha situada em Agualva, perto do Poceirão, pertencente à família Cardoso desde há muitos anos. A casta Moscatel Roxo é uma casta rara, conhecida por elaborar um dos melhores licorosos de Portugal. A sua cor purpura, e o seu bago pequeno distinguem esta casta da casta Moscatel de Setúbal. Esta casta especial imprime a este vinho notas florais intensas, tornando-o um vinho único, fresco, com uma excelente mineralidade, e muito longo.

Ir para o Facebook



Quinta do Piloto Coleção de Familia 2014 (Tinto)

Quinta do Piloto Coleção de Familia 2014 (Tinto)

Quinta do Piloto Reserva Tinto é um vinho elaborado a partir de uvas produzidas numa pequena vinha velha com perto de 60 anos, pertencentes á família Cardoso e plantadas pelo fundador Humberto Cardoso. A casta predominante desta vinha é a Castelão, no entanto, os antigos misturavam sempre pequenas percentagens de outras castas para dar maior complexidade e intensidade aos seus vinhos. Esta vinha imprime aos seus vinhos elegância, delicadeza e complexidade; plantada em solos arenosos, o vinho resultante é intenso, complexo e elegante.

Ir para o Facebook



Quinta Maria Izabel

Maria Izabel 2016 (Branco)

Maria Izabel 2016 (Branco)

Oriundo de vinhas de várias sub-zonas, tentamos expressar um vinho com um carácter unificador dos vários terroir do vale do Douro. Assente nas castas tradicionais, Cerceal, Viosinho, Rabigato, Códega do Larinho, Arinto e Verdelho contemplando também Vinhas Velhas do Douro Superior. A fase de maturação ocorreu muito precocemente e permitiu um começo de vindima em finais de Agosto. As uvas foram colhidas depois de uma selecção rigorosa na vinha e na adega. Prensadas com o cacho inteiro, a baixa pressão. O mosto fermentou e estagiou em cubas de inox permanecendo durante 5 meses, por outro lado, parte dos mostos seguiram fermentação e maturação em barricas de carvalho francês.De cor amarelo descorado, apresenta um aroma fresco denotando complexidade. Tem um bom carácter mineral, que lhe confere frescura, juntamente com notas de fruto de pomar, citrinos, leve aroma a fumo e especiarias. Franco na boca apresenta-se mineral, envolvente com acidez temperada pela leve untuosidade concedida pela parcial maloláctica realizada em barrica.

Ir para o Facebook



Maria Izabel Sublime 2015 (Tinto)

Maria Izabel Sublime 2015 (Tinto)

Elaborado a partir de Tinta Roriz, Tinto Cão, Touriga Nacional e Tinta Francisca de vinhedos com orientação noroeste e oeste. A vindima realizou-se pelo início de setembro. As uvas colhidas repousaram 24 horas num contentor frigorífico a 8º C afim de proteger a integridade dos cachos. Seguido de seleção em tapete de escolha foram introduzidas na cuba 30% com desengace e 70% de cacho inteiro, permitiu extrair mais suavemente os compostos de cor e aromas durante 3 dias de fermentação alcoólica totalmente em cubas de aço inox, sendo sangrado de cada cuba um pequeno volume de mosto completando quer fermentação alcoólica.Vinho de cor rubi profunda, aroma intenso, fresco super complexo algo fechado, notas de fruto vermelho, leve compota, especiado fino. Recorte incrível em boca, polido, salgado, vibrante.

Ir para o Facebook



Quinta Valle de Passos

Valle de Passos Reserva 2015 (Tinto)

Valle de Passos Reserva 2015 (Tinto)

Pretendemos colocar em cada garrafa o melhor da nossa região. Assim, todas as uvas vinificadas são próprias, o que nos permite ter um controlo sobre os vários aspetos que compõem cada garrafa que sai da adega. Este Reserva 2015 tem por base, maioritariamente, a Touriga Franca e a Touriga Nacional, fazendo dele, a partida, um vinho robusto, com uma boa estrutura, taninos poderosos, mas que foram já amaciados pelos 12 meses de madeira pelo qual passou metade do lote que o constitui. Optamos por utilizar barricas apenas em 50% dos lotes dos Reservas, isto porque, desta forma, conseguimos manter a fruta, acidez e mineralidade, tão típicas da região. Vinho extremamente gastronómico, que faz as delícias em qualquer mesa onde reinem iguarias como bons cortes de carne, fumeiro tradicional, cabrito, etc.

Ir para o Facebook



Valle de Passos Edição Limitada Tinta Amarela 2016 (Tinto)

Valle de Passos Edição Limitada Tinta Amarela 2016 (Tinto)

Neste vinho pretendemos transmitir toda uma filosofia de proximidade com o melhor e mais tradicional que a nossa terra tem. A Tinta Amarela é uma das castas mais típicas da região de Trás-os-Montes, ela requer calor e tempo seco, mas não em demasia, é uma casta que requer muita atenção quer na vinha quer na adega, mas que nos presenteia com vinhos únicos, elegantes, frutados e, ao mesmo tempo, vinhos estruturados, que podem ou não passar pela madeira. Neste vinho, ela revela as suas mais requintadas características, desde a frescura, fruta e um toque especiado.

Ir para o Facebook



Santos & Seixo

Santos da Casa Reserva Alentejano 2015 (Tinto)

Santos da Casa Reserva Alentejano 2015 (Tinto)

Santos da Casa Reserva Vinho Regional Alentejano 2015 é proveniente das castas Alicante Bouschet, Syrah, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon de vinhas da região de Estremoz. Estagiou 12 meses em barricas de carvalho Francês e Americano, apresentando uma cor rubi profunda, aroma com notas de couro e mentolados, muita fruta madura bem casada com a madeira. Na boca apresenta-se volumoso e com tanino suave e fino. É um vinho de produções limitadas, completo, rico e com potencial de envelhecimento. Da colheita 2015 a produção foi de 11500 garrafas.

Ir para o Facebook



Santos da Casa Grande Reserva Douro 2013 (Tinto)

Santos da Casa Grande Reserva Douro 2013 (Tinto)

Santos da Casa Grande Reserva Douro 2013 é proveniente de vinhas velhas da sub-região cima corgo do Douro é pisado a pé num dos lagares em pedra tradicional e com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês.É produzido somente em anos de qualidade excepcional e em quantidades limitadas.Sendo cada garrafa única, esta é uma produção limitada de 2000 unidades.É um vinho de uvas seleccionadas, vinificação de requinte e estágio criterioso, proporcionando um vinho de grande personalidade, profundidade, que reflecte a elegância e terroir único.

Ir para o Facebook



Symington Family Estates

Quinta do Ataíde 2014 (Tinto)

Quinta do Ataíde 2014 (Tinto)

Os vinhos Quinta do Ataíde são elaborados a partir de uvas de produção biológica desta vinha com 81 hectares localizada no longínquo vale da Vilariça, Douro Superior. A Vilariça é um lugar único, caraterizado por um terreno moderadamente ondulado constituído por solos de xisto, típicos do Douro, aqui com uma componente de argila que ajuda a reter a humidade na vinha. A conjugação destes fatores contribui para a produção de vinhos do Douro excecionais, muito aromáticos e de cor e sabores concentrados. Reflexo da rica tradição vinícola do Douro e a singular identidade do terroir da Vilariça.

Ir para o Facebook



Graham's 20 Anos (Fortificado)

Graham

O 20 Anos da Graham’s é a procura da perfeição por parte do mestre provador, capturando o equilíbrio entre a frescura dos Portos jovens e a complexidade dos Portos envelhecidos. Um vinho aperfeiçoado durante mais de vinte anos para deliciar quem procura a excelência.

Ir para o Facebook



Vasques de Carvalho

Porto LBV 2013 (Fortificado)

Porto LBV 2013 (Fortificado)

O LBV é uma das categorias especiais de Vinho do Porto, produzido a partir de uma única colheita, e engarrafado após um período de envelhecimento entre 4 e 6 anos.Numa das suas primeiras incursões no mundo dos Porto Ruby, a Vasques de Carvalho orgulha-se de apresentar o seu primeiro LBV, um 2013. Trata-se de um vinho muito saboroso, pujante e fresco, com total equilíbrio entre a acidez e a doçura. Apesar de estar perfeito para beber imediatamente o facto de não ser filtrado permitir-lhe-á uma excelente evolução em garrafa.

Ir para o Facebook



Porto Tawny 20 anos (Fortificado)

Porto Tawny 20 anos  (Fortificado)

No mundo dos Portos Tawny com indicação de idade, o 20 Anos é, em regra, aquele que melhor exprime o perfil da marca e o caso da Vasques de Carvalho não é excepção.Produzido a partir das diversas colheitas que a família guardou e cuidou, é um vinho complexo e elegante que apesar da idade conserva frescura, bem como a acidez e o equilíbrio dos grandes Porto Tawny.

Ir para o Facebook