Guia de Restaurantes
Adegga 2018

(English Version)

Os 100 Melhores Restaurantes
de Portugal Para Beber Vinho
(escolhidos pelos produtores)

Textos por José Manuel Moroso
Top 100 votado pelos produtores.

Os lugares de eleição dos produtores de vinho para beber e, claro, para comer.

No dicionário, a palavra produtor abre-se para duas vias. Uma, a que o define como aquele que produz, tem um significado puramente mercantilista. A outra, que o dá como criador, tem uma carga humanista e confere-lhe o poder da arte. No mundo do vinho, é esta última definição a que se aproxima mais com o homem ou mulher que nos fazem chegar os grandes vinhos, que enchem os nossos palatos e as nossas memórias. Para muitos de nós, eles são os nossos ‘heróis’. Justifica-se, por isso, conhecer mais sobre os que nos dão de beber e partir para a descoberta de outros gostos destes ‘mágicos das uvas’. O Guia de Restaurantes Adegga 2018 vai desvendar-nos segredos que muitos gostam de reservar só para si: os seus lugares preferidos para comer e, claro, para beber.

Com base nas recomendações dos produtores de vinho, elaborámos a lista dos 100 Melhores Restaurantes para beber vinho. Destacamos aqui o Top 30.

TOP 30 Restaurantes

1. Solar dos Presuntos

O marisco e a cozinha tradicional portuguesa são os trunfos desta casa frequentada por políticos, artistas e figuras do futebol. Comandada pelo Evaristo e pelo seu filho Pedro, toda a equipa ganha em eficácia, saber e simpatia. São famosas as suas pataniscas de bacalhau, o seu arroz de cabidela ou a açorda de lavagante. Com um serviço de vinhos de grande qualidade, é local a não perder.
Rua das Portas de Santo Antão, 150 – Lisboa
213 424 253

2. Veneza

Foi mercearia, café e tudo o mais o que uma venda de aldeia pode ser. Hoje, é restaurante com R grande e a sua garrafeira é de fazer inveja a muitas… garrafeiras. A sua localização pode definir-se por um ditado bem português: nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Melhor dizendo, fica entre as ondas algarvias e a serra. A sua cozinha é a tradicional e o apelo que aqui se sente, está virado para as carnes, como os saborosos lombinhos de porco fritos com alho, as iscas de porco de cebolada ou, ainda (e a não perder) a sua sopa de feijão à transmontana com tudo a que tem direito e que vai desde a carne de porco ao chouriço preto, passando pelas couves.
EN 395, Mem Moniz – Albufeira
289 367 129

3. O GAVETO

Há quem venha de muito longe só para se deliciar com a sua lampreia, no tempo dela, claro. Mas era uma injustiça esquecer a sua grande oferta de marisco, as suas caldeiradas, os filetes de pescada, o peixe-galo frito com açorda ou, nas carnes, a caça na sua época. É um restaurante incontornável quer na comida, quer nas bebidas e as recentes obras vieram dar ainda mais vida ao espaço.
Rua Roberto Ivens, 826 – Matosinhos
229 378 796

4. PEDRO LEMOS

Pedro Lemos ganhou uma estrela Michelin em 2014 e bem a merece. Os seus menus de degustação trazem-nos sabores únicos. O poder criativo do chef Pedro Lemos parece nunca acabar, tal é a multiplicidade da oferta, ajudada pela enorme qualidade dos produtos onde a sua horta biológica é rainha. É uma contínua descoberta pelo mundo dos paladares e, claro, não podia faltar uma garrafeira de excelência.
Rua Padre Luís Cabral, 974 – Porto
220 115 986

5. HORTA DOS BRUNOS

Passa quase despercebido numa ruela bem perto da Estefânia. Mesmo depois de se entrar, continua a esconder os seus dotes. Numa parede, as caixas que guardam grandes vinhos, são a primeira boa nova. Depois, bem, depois é um fartar de comer bem. Petiscos onde se alinham os ovos mexidos com farinheira ou os pimentinhos padrão, abrem apenas a porta para outras gulodices. É a hora das costeletas de borrego e do arroz de entrecosto, tudo regado com óptimas pingas. A casa é pequena, mas acolhedora.
Rua Ilha do Pico, 27 – Lisboa
213 153 421

6. BELCANTO

A escassos metros da grande casa da ópera em Portugal, o Belcanto dá-nos uma outra música. O chef José Avillez é a cara do gostosíssimo projecto e as criações dos seus menus de degustação levam-nos a um outro estado de alma. Chef reconhecido já com duas estrelas Michelin, brilha numa cozinha de autor em defesa da identidade da gastronomia portuguesa. Uma ida ao Belcanto – com meses de listas de espera – é uma autêntica festa para o nosso palato. E, não menos importante, contamos com a preciosa e competente ajuda do escanção Rodolfo Tristão na não sempre fácil tarefa das harmonizações. Urgente não perder!
Largo de São Carlos, 10 – Lisboa
213 420 607

7. O AÇUDE

Vamos encontrá-lo para os lados de Santa Clara e, diga-se, em boa hora. Claro que ninguém vem a Coimbra à espera de encontrar o melhor peixe do mundo acabadinho de sair da água e é por isto mesmo que a casa aposta em bacalhaus e atuns. Do primeiro, chega-nos em espetada, quanto ao segundo é feito ‘à portuguesa’. Passando para as carnes, vamos encontrar selecção variada de bifes, que quando a carne é de qualidade (como é o caso), brilham no prato. Grande lista de vinhos.
Av. Da Guarda Inglesa, 63 – Coimbra
239 441 638

8. DOM JOAQUIM

Cidade alentejana recheada de bons restaurantes, abre-nos agora as portas deste Dom Joaquim, acérrimo defensor da cozinha regional alentejana. Alegrem-se os palatos, desejosos de provar a sopa de cação, a açorda de bacalhau com ovo escalfado, o borrego no forno ou as bochechas assadas com puré de maçã. São autênticos hinos à forma de bem cozinhar.
Rua dos Penedos, 6 – Évora
266 731 105

9. VILA JOYA

O chef Dieter Koshina dirige com mão de mestre a excelente cozinha de autor do famoso restaurante algarvio. Da cozinha chegam-nos todos os dias diferentes menus sob a responsabilidade criativa de Koshina. É nesta autêntica dança de sabores que podemos provar as surpreendentes maravilhas no capítulo da degustação e, claro, sempre acompanhadas por excelentes vinhos de tão grande oferta à nossa disposição. Com duas estrelas Michelin já atribuídas, Dieter Koshina merece bem a nossa visita. Basta preparar os nossos palatos por mais sensíveis que sejam.
Estrada da Galé – Albufeira
289 591 795

10. TASCA DO JOEL

Aqui já entramos num reino completamente diferente. Imperam os peixes e os mariscos que passeiam pelos nossos olhos a impecável frescura e a mestria de um trabalho feito à grelha ou no tacho. Depois de uma incursão imperdível pelos petiscos, aventuremo-nos nos paladares do reino de Neptuno e deliciemo-nos com as ofertas ‘marinhas’, sempre bem acompanhadas por uma irrepreensível garrafeira. E depois bem nos podem chamar de ‘amigos de Peniche’ que nós até agradecemos.
Rua do Lapadusso, 73 – Peniche
262 782 945

11. OXALÁ

Oxalá que esta casa nunca encerre e isto porque aqui comer é um verdadeiro passe de mágica. Depois de franqueada a porta, não se assuste por ver algum empregado brandindo um sabre para abrir uma garrafa de espumante e lhe oferecer um copo. É assim que a simpatia logo se faz sentir. Depois, na mesa, continua a mestria. A cozinha tradicional portuguesa é quem comanda, e vale bem a pena a análise atenta da carta.
Rua Família Colares Pinto – Ovar
256 591 371

12. O MAGANO

O lisboeta bairro de campo de Ourique tem destas surpresas; é rico em boa e ‘caseira’ restauração. A cozinha, como o próprio nome nos leva a crer, é de cariz profundamente alentejano e ainda bem. Temos é de ter cautela para não exagerar nas entradas (peixinhos da horta, favinhas com linguiça e outros ‘desvarios’) para conseguir atingir os sabores da cozinha, agora em doses maiores. Venham de lá então o arroz de galinha de cabidela, a açorda de bacalhau à alentejana ou, na sua época, a perdiz de caça estufada com pão frito. Enfim, delícias sempre casadas com óptima carta de vinhos.
Rua Tomás da Anunciação, 52 A – Lisboa
213 954 522

13. GIGI

Do Gigi retemos a sua eterna e saudável boa disposição, a arte de bem receber e, acima de tudo, uma irrepreensível mão de mestre na cozinha. Ajudado por pessoal muito atencioso, chegam até nós os mais variados peixes vindos do carvão ou a fresquíssima oferta de mariscos. A sua arte começa logo pela manhãzinha, quando parte para as compras e se dedica à escolha dos melhores produtos entre os melhores. Ir ao Gigi, onde desfilam personalidades de todo o mundo, da política, ao desporto, passando pela realeza, é mais do que obrigatório: é uma acto de fé.
Praia da Quinta do Lago – Loulé
289 394 481

14. O FIALHO

Ir a Évora e não comer no Fialho é perder oportunidade única de conhecer a cozinha alentejana. Desde os petiscos até aos pratos completos é um regalo para os nossos palatos, tudo dirigido pela mestria de Amor Fialho. Depois das apetitosas entradas que compreendem, entre outras, os pimentos padron, as empadas de caça ou os pastéis de massa tenra, podemos seguir sem qualquer receio para a perdiz à Convento da Cartuxa, que é uma tentação, assim como para um saborosíssimo arroz de pombo. Hipóteses de uma refeição de sonho há muitas, ainda por cima acompanhada por vinhos de grande qualidade. A não perder, claro está.
Travessa Mascarenhas, 14 – Évora
266 703 079

15. EUSKALDUNA STUDIO

Uns escassos 16 lugares colocam a clientela praticamente ‘colada’ à equipa que trabalha sobre o que iremos degustar. O chef Vasco Coelho Santos dirige esta experiência de fine-dining, naquele conceito que podemos nomear de ‘laboratório’. Um menu sazonal com dez momentos vai-nos trazendo os resultados da ‘pesquisa’ e quem fica grato é o nosso palato. Criação, sabores, inovação, eis os segredos deste Studio.
Rua de Santo Ildefonso, 404 – Porto
935 335 301

16. DOP

Situado no centro histórico do Porto, este restaurante é a imagem do seu criador, o chef Rui Paula, detentor de uma estrela Michelin. Podemos optar pela escolha à carta ou por um menu de degustação, mas seja qual for a escolha, encontraremos sempre a mestria de Rui Paula. Uma cozinha fine-dining que se caracteriza pela recriação dos sabores a que o chef sempre esteve habituado ao longo do seu percurso de vida, onde podemos destacar o seu espectacular polvo.
Largo São Domingos, 18, Palácio das Artes – Porto
222 014 333

17. VELA LATINA

Aberto desde 1988 é um dos famosos restaurantes lisboetas que entretanto recebeu obras de beneficiação e juntou-lhe um novo espaço, o Nikkei, aberto à gastronomia japonesa e peruana. Mas o clássico Vela Latina continua a exibir a sua excelente oferta de cozinha tradicional portuguesa, onde podemos destacar o bacalhau com migas de pão de milho ou os filetes de pescada com risotto de alcachofras. A excelente carta de vinhos completa o cenário.
Doca do Bom Sucesso – Lisboa
213 017 118

18. TASQUINHA DA LINDA

Que Linda tasquinha mesmo em frente ao mar que é, como quem diz, a verdadeira despensa desta casa. Com efeito, é do mar ali à porta que nos chega tudo, estando aqui a falar de peixes e mariscos, pois claro. De confecção única, este é um espaço para meter sabores em dia no que aos produtos do mar diz respeito.
Doca das Marés A-10 – Viana do Castelo
258 847 900

19. RUBRO

Para além dos outros Rubro (um no Campo Pequeno e outro em Cascais) este, bem junto da Avenida da Liberdade é um bom exemplo para mostrar ao que vamos. Com uma completíssima oferta de entradinhas, que nos possibilita praticamente fazer uma refeição, os momentos altos são, sem dúvida, as carnes, sendo obrigatoriamente de destacar o Chuletón. Boa oferta de vinhos e um ambiente descontraído completam este agradável cenário.
Rua Rodrigues Sampaio 33-35 – Lisboa
213 144 656

20. RAMIRO

De casa de pasto, quando abriu portas em 1956, a cervejaria de renome, assim se faz a história da casa onde o marisco atinge o estrelato. E para quem quiser uma carninha, então aconselha-se o excelente prego no pão. Mas, acreditem, os grandes ases vêm do mar e a sua frescura é irrepreensível.
Avenida Almirante Reis, 1-H – Lisboa
218 851 024

21. OCEAN

O chef Hans Neuner continua a exibir o brilho das suas duas estrelas Michelin neste brilhante espaço onde brilha o fine dining. As suas criações juntam, por exemplo, a açorda e o carabineiro e apresentam-nos salmonetes de Sagres e atum dos Açores. Nas carnes brilha, por exemplo, o notável borrego dos Pirinéus com favas. O elegante ambiente e a cozinha de excepção fazem deste Ocean um mar de agradáveis surpresas para a boca e para os olhos.
Vila Vita Parc, Rua Anneliese Pohl – Alporchinhos (Lagoa)
282 310 200

22. O PAPARICO

Paredes de granito albergam uma acolhedora cozinha de autor que balança entre o tradicional e a modernidade. Na degustação, pontificam dois menus; o Portugalidade e o Partilha. A gastronomia portuguesa está salvaguardada e por aí se encontram a vitela, o naco de vaca velha e até a clássica salada de atum com ‘ciclistas’, o conhecido feijão-frade. A irrepreensível carta de vinhos faz o resto.
Rua Costa Cabral, 2343 – Porto
225 400 548

23. MERCEARIA DO CAMPO

O lisboeta bairro de campo de Ourique, já o dissemos atrás, é um tesouro no que à boa restauração diz respeito e esta Mercearia é disso exemplo. Com comidas de confecção simples, a grande oferta está nos múltiplos petiscos, mas nos pratos completos há, também, variedade. Com escolha variada em risotos, ou nos clássicos pratos de bacalhau com natas e arroz de pato à antiga, há ainda destaque importante para os maranhos à Beira Baixa e para o Bucho.
Rua Saraiva de Carvalho, 115 – Lisboa
218 036 966

24. MARISCO NA PRAÇA

Excelente aproveitamento do mercado de Cascais, com decoração simples mas bem agradável, onde reina a excelente oferta de marisco. A frescura é o seu mais importante certificado, mas para quem queira tentar outras opções, então o marisco chega-nos ‘casado’ com o arroz ou com a açorda. De qualquer das formas, tudo muito bem confeccionado e ‘regado’ com grandes vinhos.
Mercado Municipal de Cascais, Rua Padre Moisés da Silva – Cascais
214 822 130

25. MAR DO INFERNO

Mesmo junto à Boca do Inferno, atracção turística junto à arriba sempre batida pelo mar, o restaurante conta com a tradicional simpatia de Maria de Lurdes, a proprietária. A oferta é variada, mas as apostas maiores terão de ser quer nos mariscos, quer nos peixes. Em ambos, a frescura e a confecção imperam e trazem-nos os maiores e melhores sabores do mar.
Avenida Rei Humberto II de Itália – Cascais
214 832 218

26. MANJAR DO MARQUÊS

São famosos os seus pastéis de bacalhau com arroz de tomate e era ponto de paragem obrigatória dos automobilistas antes da construção da A1. Hoje, continua a ter os seus admiradores que se perdem pelos já referidos pastéis de bacalhau, pela posta de bacalhau frito, pelos filetes de pescada ou pelos panados. E, já se sabe, tudo acompanhado pelo imperdível arroz de tomate bem malandrinho.
Estrada Nacional nº 1 – Pombal
236 200 960

27. CASARÃO DO CASTELO

O prato que lhe deu nome é o do bacalhau à Casarão do Castelo, mas era injusto ficarmos pelo fiel amigo. Há outras opções, e igualmente muito boas. O rodovalho grelhado com arroz de grelos ou os filetes de polvo com arroz do mesmo chamam também as atenções de quem procura esta cozinha atenta e criadora de sabores. Nas carnes, a aposta recai sobre as costeletas de porco na brasa. Bons vinhos ajudam o cardápio.
Rua Santa Catarina, 74 – Leça da Palmeira
229 951 626

28. CASA DAS TORTAS

As tortas de Azeitão atraem desde há muitos anos todos quantos por ali passam, mas entre as doçarias abre-se um restaurante que ajuda ao sucesso deste pequeno espaço. No verão, pode optar-se pelo ar livre e é aí que a casa brilha. Os peixes no carvão fazem as honras da casa. Oferta variada e com enorme qualidade.
Praça da República, 37 A – Vila Nogueira de Azeitão
969 146 996

29. BURRO VELHO

Com vista de excepção sobre o Mosteiro, esta casa cativa-nos desde logo por ter a funcionar uma excelente garrafeira. A sua cozinha, ao estilo tradicional português, serve-nos um excelente bacalhau à Lagareiro, mas as suas carnes maturadas são famosas. Claro que muitos a procuram pelo seu suculento bife à Burro Velho, tudo acompanhado com uma carta de vinhos de enorme oferta e qualidade.
Rua Nossa Senhora do Caminho, 6 A – Batalha
244 764 174

30. A ESCOLA

O que dantes era escola primária transformou-se em restaurante onde pontifica a cozinha alentejana. Ambiente descontraído, o seu menu tem duas referências que são imperdíveis. Falamos da empada de coelho bravo acompanhada por arroz de pinhões e, quando as há, as perdizes na púcara são uma tentação. A carta de vinhos está bem recheada, fazendo deste restaurante de beira de estrada a caminho da Comporta, local obrigatório para se continuar a aprender, falando, claro, de como comer bem.
EN 253 – Cachopos
265 612 816

TOP 31 - 100 Restaurantes

Lisboa

100 Maneiras
By The Wine
Casa Nostra
Coelho da Rocha
Eleven
Enoteca de Belem (encerrado)
Epur
Gambrinus
Laurentina
Lisboa à Noite
Mensagem Bar Panoramico
Rabo D`Pêxe
Sacramento
Sommelier
Taberna da Rua das Flores
Tágide
Tasca da Esquina

A 1h de Lisboa

Abraço (Sintra)
Azimut (Estoril)
Casa Da Dizima (Paço de Arcos)
De Pedra e Sal (Setúbal)
Ipsylon – The Oitavos Hotel Cascais)
Lovit (Cascais)
Pançitas (Barcarena)
Panorâmico By Marlene Vieira (Porto Salvo)
Porto Santa Maria (Cascais)
Taberna 490 STB (Setúbal)
Vela Branca (Setúbal)
Zagaia (Setúbal)

Porto

Adega São Nicolau
Antiqvvm
Brasão
La Ricotta
Nogueiras
Oficina
Páteo das Flores
Praia da Luz
Shiko – Tasca Japonesa
Tapabento S. Bento

A 1h do Porto

A nossa Casa (Aveiro)
Dom Carlos (Barcelos)
Dona Julia (Braga)
Monverde Wine Experience Hotel Restaurante (Amarante / Lixa)
O Canastra (Espinho)
Pedra Bela (Santa Maria da Feira)
Rei dos Leitões (Mealhada)
Salitre (Vila do Conde)
Theatro (Póvoa do Varzim)
Toupeirinho (Matosinhos)
Villazur (Vila do Conde)
Vinum – Restaurant Wine & Bar (Gaia)

Alentejo

Mercearia do Gadanha (Estremoz)
Sushi Alentejano (Beja)

Algarve

2 Passos (Almancil)
Bata Que Eu Abro (Altura)
La Cigale (Albufeira)
O Leão de Porches (Porches)
O Restinga (Alvor)
Sal e Companhia (Lagos)

Centro

Casa Arouquesa (Viseu)
Casinha Velha (Leiria)
Dori (Costa Nova)
Puttanesca (Leiria)
Salgaboca (Praia de Mira)
Santa Luzia (Viseu)
Taberna da Milinha (Viseu)
Tasquinha da Sé (Viseu)

Norte

Convento dos Capuchos (Monção)
Sabores (Monção)
Tralha (Vila Real)

Os Produtores

Os produtores que votaram nos restaurantes do Guia de Restaurantes Adegga 2018

Receber as novidades do Adegga